quarta-feira, 8 de julho de 2009

Viver (n)a paisagem

e a tela torna-se mágica quando nela se recria o gosto e a sensibilidade.
No rectangulo branco se aprisiona o momento e se entretece o olhar. Cada pincelada revolve-se na cor e nas cerdas que volteiam na dança dos dedos. Espátulas e pigmentos disputam o espaço e o estertor dos coloridos rejeitados.Reflexos e sombras ganham vida de contornos definitivos. De repente, a paisagem fica transfigurada pela tela. Recriada. Subtilmente infiltrada pela alma do pintor...

Pintura(C)Laura Patricia Eyheramonho
Enviar um comentário